domingo, 6 de abril de 2014

Prefácio a "Sombra em Clave de Sol", de Joaquim Evónio



Escrever para algo produzido literariamente por Joaquim Evónio, obriga-me a recuar no tempo. Desta feita até à cidade de Leiria, onde, nos espaços da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira, no ano de 2006, o conheci pessoalmente. Escrevo-o porque escuto-o com o seu timbre característico por entre estes seus contos.

Joaquim Evónio traz-nos neste seu trabalho, que agora se reedita, a linguagem depurada de um escritor maduro, seguro no seu ofício de contador de histórias.

Não há uma palavra a que se possa atribuir a condição de excedente. Estas estão onde devem estar, como se ao autor bastasse colhê-las e nada mais. 

Porém, esta aparente facilidade expressiva oculta um árduo trabalho oficinal, um chegar aí erguido por uma extraordinária capacidade de síntese e um imenso saber sobre a Língua em que se expressa.

Mais do que lhe indicar as características e ou as temáticas abordadas neste volume, convido-o a calcorreá-lo, a espreitar por entre as palavras os mundos que este contém.

E isto porque há de facto vida nesta recolha que Joaquim Evónio nos oferta e a que denominou: “Sombra em Clave de Sol”. E é para a descoberta dessa secreta pulsação que o desafio a ler este livro, mas lê-lo como se alguém para si o lesse.


Coimbra, 12 de Novembro de 2009


in EVÓNIO, Joaquim - "Sombra em Clave de Sol". Temas Originais. 2009
Enviar um comentário