segunda-feira, 10 de março de 2014

Prefácio a “Entre a escada e o muro”, de Maria do Rosário Leal



O livro que acaba de abrir, “Entre a escada e o muro”, de Maria do Rosário Leal, convida-nos para uma divagação sobre a própria condição humana. Poder-se-á atribuir aos signos escada e muro, anunciados em título, os valores de possibilidade de ascensão e de limite, respectivamente, e será entre estes valores que a poetisa se encontra ou nos diz, talvez seja este o factor mais relevante, da nossa própria condição.

Assim sendo, a sua escritura procura revelar-nos sobre o que existe entre esses dois domínios, a necessidade que sentimos em melhorar cada uma das valências onde nos movimentamos e o que nos é imposto como limite, sobretudo socialmente, dessa mesma necessidade.

Maria do Rosário Leal faz do poema o espaço de reflexo sobre a sociedade e, do olhar de quem a lê, o local ideal para o acordar de consciências, como um murro no estômago, adormecidos que estamos pelas eternas promessas de reclamos que reclamam a nossa atenção.

São estas promessas que nos fazem amiúde adiar o risco de pisar o próximo degrau e vislumbrarmos o que há para além do muro.

Em suma, este volume é uma espécie de despertador, mas que nos é entregue sem imposições, sem programação estabelecida, antes aguarda a sua activação mediante o que cada um de nós neste souber descobrir.


20 de Outubro de 2011


in LEAL, Maria do Rosário - "Entre a escada e o muro". Temas Originais. 2011
Enviar um comentário