domingo, 12 de janeiro de 2014

de "Acordes de azul" - 18

As palavras, como aves, invadem
os beirais da memória.
Pacientes, aguardam que o outono
faça tombar a última folha
para que em seu tegumento
indaguem o rumo ao sul,
um rumo rente às metáforas.

in "Acordes de azul" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2002)

Enviar um comentário