segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

de "Palavras no vento" - 6

Em silêncio, habita as palavras. Um deus
esquecido percorre os meandros do mundo.
Atravessa o rumor da memória como
se indagasse um olhar, um desperto olhar sobre
a cadência errante de um cometa. Agora,
na árvore do poema, descubro o seu nome.
Como um tesouro, guardo-o no mais secreto,
puro e íntimo dos versos que te escreverei.

in "Palavras no vento" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2003)

Enviar um comentário