quarta-feira, 1 de outubro de 2014

de "Monte Maior sobre o Mondego" - 1


 


I PARTE

COROA

Primeira Torre – ABADE JOÃO

Pela nobreza,
não lutara,
mas pela dor de nada ter.

Só este silêncio informe
de um preso grito
numa imagem
repetidamente exposta
de amado corpo degolado.

E a mourama aqui tão perto,
cercando
asfixiando o próprio poema.

E o vento
calando na pedra
a canção da vitória.

Ouve, a morte ri,
não vem do rio,
desce das muralhas.

Escuta,
não fora a esperança
que fenecera,
era o medo a germinar.


in "Monte Maior sobre o Mondego" (e-book, ArcosOnline, Arcos de Valdevez, Portugal, 2006; Temas Originais, Coimbra, Portugal, 2010) - Menção Honrosa (Poesia) no Prémio Literário Afonso Duarte - 2004. 
Enviar um comentário