sábado, 20 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 95 a 100


VENTO

ouve
habita nas ramagens
a voz do vento

VER-TE PASSAR

Ver-te passar
é saber como é breve o tempo
e perene o desejo

VIAGEM

Nos cabelos de um cometa
sonho a viagem
vou de partida

VIAJANTE

Entre o pó e o homem
há uma sandália
de um viajante

VIANDANTE

Como bagagem
levo a memória
de um caminho a percorrer.

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)

Enviar um comentário