sexta-feira, 19 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 91 a 95


SIMURGH

Entre o céu e a terra,
una é a essência
porque una é a sua matriz.

SOMBRA

A sombra salta o muro. Esconde-se
do sol ou aguarda por ti
para te acompanhar.

SONHO

No secreto gesto,
que as mãos do desejo despertam,
abre-se o trilho do sonho.

TEMPLO

corpo exposto
à semente fecundante
do silêncio

VELEIRO

O mar azul, súbito branco
nos flancos da areia ou poema,
veleiro em papel no horizonte.

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)
Enviar um comentário