quarta-feira, 3 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 11 a 15


AVE

Serenamente, se recolhe.
Indaga a fórmula do espanto
incendiando o voo.

BARCO

Há um verso à deriva
na palavra
azul do mar.

BULÍCIO

No bulício
da cidade, o que faço?
Planto ruas na memória.

CÁLAMO

onde a metáfora brilha
entre os dedos
na floração das palavras

CAMINHO

Sigo o caminho do poente
vou com o sol e as águas
provar do sal o silêncio

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)

Enviar um comentário