sexta-feira, 12 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 56 a 60


LUA

Majestosa, regente do mênstruo
e do desejo, a lua
entre nuvens oculta.

MÃO

Desperta do silêncio
a respiração contida
na pétala de uma pedra

MÁSCARA

Máscara é a nudez
do homem definida
com a sua queda.

MEDO

Sei, não partiste, dormes a meu lado,
mas consumo cada dia
como se fosse, de nós, o último.

MUSA

pergunto-me do verbo
do nascer frágil do poema
e só tua face almejo

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)
Enviar um comentário