segunda-feira, 15 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 71 a 75


PARTIDA

De súbito, trouxeste
a meus olhos
dezembro em pleno agosto.

PASTOR

Com ágolo e flauta, o pastor
que guardava as palavras do vento
pelas estrofes do poema.

PAZ FÁTUA

rente à terra
um ramo de oliveira
aguarda a pomba prometida

POEMA

O poema não é as palavras,
voz em silêncio, é esta pedra
que o olhar, em espanto, cinzela.

POMPEIA

Sob o tempo, o silêncio
dos amantes
nas cinzas esculpido.

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)
Enviar um comentário