quinta-feira, 11 de setembro de 2014

de "À beira do silêncio" - 51 a 55


JOB

Sobre a pedra, aguardo
que o destino desça
este caminho ao meu encontro.

KY-LIN

De súbito, habita
o poema. Depois, o olhar.
Teu ventre iluminado.

LAREIRA

Ouço crepitar.
Da infância, a voz renasce
no lento fogo da memória.

LETES

Pétala a pétala, esvai-se
a memória nas margens
deste rio que atravesso.

LIBERDADE

Num sonho de Espártaco, avanço
com asas de Ícaro pelos céus
num fio de luz, de ilusão.

in "À beira do silêncio (uma centena de experiências em poetrix)" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)
Enviar um comentário