segunda-feira, 6 de abril de 2015

de "O livro do regresso" - 11 e 12


todos partem

emoldura-se de pó
a distância

uma lágrima
cumpre o seu mistério
descendente

quem regressa
serenamente aguarda
a estação das colheitas

conjuga as cinzas
com o verbo da terra

*

na boca do vento
as silvas pronunciam
o hálito das amoras

lambem os muros
na ardência das sombras
no jogo do sol

festejo a chegada das aves
riachos correndo
sulcando as margens
na face das pedras

na boca do vento
encontro o riso das compotas
nos meus olhos de menino

in "O livro do regresso" (Edium Editores, Matosinhos, Portugal, 2008); "Viagem pelos livros" (Escrituras, São Paulo, 2011) - Prémio de Poesia Raul de Carvalho - 2005, organizado pela Câmara Municipal de Alvito
Enviar um comentário