quinta-feira, 7 de maio de 2015

de "Nove ciclos para um poema" - 7.º Ciclo


VII

Havia um homem que corria pelo orvalho dentro.

Herberto Helder

1.

foram as mãos regidas pelo olhar
que atearam na voz
o fogo
que nomeara
a primeira das manhãs

2.

o orvalho desenhara uma cortina
sobre a ampla
janela da alvorada

descia pelas fímbrias de um gesto
como um homem que contempla
o brotar de um novo dia

3.

reside o poema
naquele breve escasso
vislumbre
como uma janela
que se abre simples porque plena
para a morte

4.

e um homem corre
rio enfim liberto
das margens
para sorver do sal
os lábios da lua
o ventre das marés

in "Nove ciclos para um poema" (edium editores, Matosinhos, Portugal, 2008); "Viagem pelos livros" (Escrituras, São Paulo, Brasil, 2011) - Prémio Literário da Lusofonia - 2007, organizado pela Câmara Municipal de Bragança 

Enviar um comentário