sexta-feira, 1 de maio de 2015

de "Nove ciclos para um poema" - epígrafe e 1.º Ciclo

 


Minha pátria é a língua portuguesa

Bernardo Soares


I

mereço o meu pedaço de chão.

Agostinho Neto

1.

não há palavras proibidas
todos os sons são livres de voar

2.

ao longo dos anos
semeei versos
como passos no caminho
que chamei de meu

alguns ainda os trago comigo
são o meu legado
o meu quinhão

meu naco de chão

3.

um dia colherei da primavera
as fragrâncias dos versos
mais subtis

como uma folha em voo
no pico do meu outono

neste chão que conquistei

4.

mereço este meu chão
esta palavra
pedra erguida que afronta o medo o mar
que teima em convocar
tambores
de ritos ancestrais
de aras onde o cordeiro se entregava
ao gume do silêncio

mereço este meu chão esta palavra
este meu pomo de liberdade

in "Nove ciclos para um poema" (edium editores, Matosinhos, Portugal, 2008); "Viagem pelos livros" (Escrituras, São Paulo, Brasil, 2011) - Prémio Literário da Lusofonia - 2007, organizado pela Câmara Municipal de Bragança 
Enviar um comentário