sábado, 21 de dezembro de 2013

Para o filho da minha esposa, Vítor

No dia do seu aniversário, um poema, desta feita inédito.

ao Vítor


                              "e que rumem rumo ao sonho
                              porque antes vivê-lo um segundo
                              que chorá-lo toda a vida"

                                                  Xavier Zarco


todos os passos contam mesmo os dados
que outros chamam de errados mas são teus
todo o passo constrói o istmo que nos
une ao mundo mas mundo algum detém
nas mãos o barro o ofício que nos faz
ser o que somos sempre e em cada instante

Enviar um comentário