sábado, 10 de janeiro de 2015

de "Divertimento poético" - 46 a 50


Silhueta na janela.
Janela com silhueta.
O mundo é uma procela
A passar de motoreta.

*

Tenho na mão uma rosa
Para dar ao meu amor
Que como a rosa é formosa
Airosa como uma flor

*

Trago no olhar o presente
Mais doce do verbo amar
Como um riacho pungente
No ventre do teu olhar

*

Traz o dia na lapela
Uma flor do meu jardim
Por ela o sol se revela
Em seu esplendor sem fim

*

Um sorriso de criança
O que é mais preciso ver,
Se são olhos da esperança
Que só elas podem ter?

in "Divertimento poético ou cinquenta quadras mais ou menos ao gosto popular, seguidas por três, porque três foi a conta que deus fez, redondilhas com gente dentro: Ti Maria, Ti Zé e Dona Alice (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário