terça-feira, 17 de junho de 2014

de “O guardador das águas” - 17

Vão para os pastos os pastores,
os cães,
os rebanhos manhã dentro.


Vão rumo às arestas
do nascente.



Aos braços
da erva enamorada.



in “O guardador das águas” (Mar da Palavra, Coimbra, Portugal, 2005); “Viagem pelos livros” (Escrituras, São Paulo, Brasil, 2011) - Prémio de Poesia Vítor Matos e Sá – 2004, organizado pelo Conselho Científico da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Enviar um comentário