sexta-feira, 13 de junho de 2014

In Memoriam - José António Gonçalves


Cumpre-se hoje, dia 13 de Junho, sessenta anos sobre o nascimento de José António Gonçalves, camarada do Grupo Encontro de Escritas, que viria a falecer em 2005. Como homenagem, insiro um ciclo sob epígrafe que foi editado em 2006 na "Antologia de Escritas 3".

Sob epígrafe de José António Gonçalves


          dois palmos de novo dia e um poema

José António Gonçalves

1. anúncio de um novo dia

desprendem-se as tranças 
de um novo dia

um simples verso no corpo 
das ondas 
na face das rochas

e uma silhueta

ilha ao centro da ilha

medita o naufrágio 
um barco que navega por entre os sentidos 
na íris da última estrela


2. primeiro palmo de um novo dia

entre a estrela e a areia 
o mesmo instante se revela

escorre entre os dedos

escuta
desvendam-se acordes 
na brisa que passa. 


3. segundo palmo de um novo dia

ao cosmos regressa-se
nada dele parte em fuga

cada caminho desenha-se 
como afluente 
de um supremo mistério

e entre estrofes a chave permanece 


4. poema de um novo dia

a ave chega

talvez teus olhos não estejam
prenhes do seu corpo

mas ela chega

traz o cântico do mar 
na boca do sol que nasce

um verso que acorda
onde antes as palavras eram sombra

escombros na memória de um homem



Enviar um comentário