sábado, 13 de dezembro de 2014

de "Trinta mais uma odes" - 13


Flores, lego-te flores, musa minha.
Em tuas mãos as deixo com rigor
            Como um verso que nasce
            Do ventre do poema.

As flores são perenes se esquecidas,
Mas eternas se em tuas mãos florirem
            Como verso que brota
            Na flor do teu sorriso.

in "Trinta mais uma odes" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)

Enviar um comentário