terça-feira, 16 de dezembro de 2014

de "Trinta mais uma odes" - 16


Não condenais à morte, à escravatura,
Perpétua prisão. Cada palavra
            Bebe de sua fonte
            Suas próprias margens.

Pois não julgais, os deuses se resumem
À contemplação plácida e serena
            Do poema erigido
            No ritmo ao fado preso.

in "Trinta mais uma odes" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário