sábado, 6 de dezembro de 2014

de "Trinta mais uma odes" - 6


Demoro o meu olhar na antigualha.
O que outrora existiu, agora é sombra.
            Mas cada pedra canta,
            Eleva a sua voz.
Quem me dera escutá-la, conhecer
Os ritos que a regiam, que a faziam
            Ser qual ponto de luz
            Nos trilhos tecido
Com mestria de Aracne e que o passar
Do tempo, qual Atena por despeito,
            Seu corpo resumiu
            Nas mãos de uma arandela.

in "Trinta mais uma odes" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário