terça-feira, 9 de dezembro de 2014

de "Trinta mais uma odes" - 9


Em teu gesto, Anfitrite, acorda a voz
Das Nereidas. Aedo, escuto o mar
            No ressoar das sílabas,
            No evolar de um acorde.
Como se neste barco a noite fosse
A mesma em que furtei ao anfitálamo
            O cativo poema
            A que fiquei cativo.

in "Trinta mais uma odes" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário