domingo, 16 de novembro de 2014

de "Afluentes do poema" - 16


A iluminada mão projecta a sombra,
Carlos Poças Falcão, in O Invisível
Simples. A sombra, como o verso, não
fica, à guisa de epígrafe, pendente,
isolada no topo de uma página.
Desce por entre as frestas do poema
e indaga a luz que nega. Traz seu nome
na esquina de uma sílaba esquecida
e, de súbito, surge entre a voz que
nomeia a iluminada mão. Regressa
ao centro do poema e seu corpo
com o corpo da luz funde em silêncio.

in "Afluentes do poema" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2006)
Enviar um comentário