domingo, 8 de março de 2015

de "Poemas com rosto" - 15 e 16


HERBERTO HELDER

Onde se esculpe a boca, abre-se a voz.
A madeira revela
o fogo
das palavras.

Estas, como pétalas,
caem sobre as páginas
que rente ao olhar,
em voo,
se descobrem.

*

As barcas gritam sobre as águas.
Eu respiro nas quilhas.

Herberto Helder

imprecisa a aguarela reclama
um só olhar

um só instante sobre as águas
onde o grito se derrama
para que o escutemos

mas eu vou pelas ondas
pela espuma que acorda o areal

ou pelo barco
esboço de vento ou miragem
ao fundo sobre o azul
onde aprendo a respirar

in "Poemas com rosto" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)

Enviar um comentário