terça-feira, 10 de março de 2015

de "Poemas com rosto" - 19 e 20


GUERRA JUNQUEIRO

simples é a alma que a seu jeito
plena se descobre
em sua voz

e num gesto de partilha
semeia versos
ventos de mudança

porque onde antes
era erma terra
agora é verde prado

onde as flores insistem em medrar

*

Dei a volta ao mundo, dei a volta à Vida...

Guerra Junqueiro

tenho entre as mãos um veleiro
de papel
onde adormeço as palavras
e os temporais

no seu bojo naveguei
por símbolos
e imagens
que a custo decifrei

mas sempre que meu olhar
acordou
era novo o mundo
e nova a cifra

tenho um veleiro de papel
frágil
como uma pétala
ou um poema

in "Poemas com rosto" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário