segunda-feira, 16 de março de 2015

de "Poemas com rosto" - 31 e 32


TEIXEIRA DE PASCOAES

há palavras
e gestos nas palavras

um fio de vida
dependurado em cada verso

e um poema que escapa entre as arestas
de uma página
e esvoaça em torno
da luz de um olhar
e este percorre
para além do visto
da aparência das coisas

há palavras
e gestos nas palavras

um fio de vida
que se revela
no secreto ventre
do horizonte

*

Sou pedra que se funde, mal lhe toca
Um ai de dor, um beijo, um sopro etéreo

Teixeira de Pascoaes

o que sou ou fui
ou serei

o que importa o tempo

a pedra ergue-se ao vento e não se importa
que sua carne seja rasgada
pelas suas unhas

como a pedra
também o tempo passa por mim

cumprimento-o
e sigo viagem

in "Poemas com rosto" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)

Enviar um comentário