sexta-feira, 13 de março de 2015

de "Poemas com rosto" - 25 e 26


ANDITYAS SOARES DE MOURA

o carteiro
mais ou menos
chega sempre à hora certa

traz no saco a tiracolo
novas da distância

de outro tempo
de outra memória

de palavras com música dentro
sílabas
veias ancestrais
onde o novo sangue floresce
eclode na voz de um jogral
na corte
da própria poesia

*

Em um instante: perder as nuvens

Andityas Soares de Moura

frágil é o verbo
que sustenta o poema

raro e precioso

como uma nuvem
ou um vitral
no desfiar do sol

in "Poemas com rosto" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)
Enviar um comentário