segunda-feira, 23 de março de 2015

de "Poemas com rosto" - 45 e 46


WALT WITHMAN

deste as próprias veias ao canto
do homem simples

do que abre fronteiras
com o sangue do seu sonho
do seu corpo

com ele dormiste
tendo as estrelas como confidentes
do murmúrio das ervas

do seu cântico em coro
de uma esperança
tão próxima como longínqua

mas este era o teu sangue
e este o teu destino

palavra a palavra tecido
vivido e sentido
na semente de um poema

*

I am the poet of the body,
And I am the poet of the soul.

Walt Whitman

há uma artéria
(sinto a sua serena presença)
que irriga a alma de sangue

um vínculo
um cordão umbilical
do corpo à alma

decifrar as secretas
vias
é o desígnio desta voz

que emerge do poema em construção

in "Poemas com rosto" (e-book, Virtualbooks, Brasil, 2007)

Enviar um comentário